Feminista sustentada pelo marido


E aí? Tudo certo?

Esses dias ouvi essa frase, e resolvi vir falar sobre isso aqui por saber que é um pensamento comum, e ignorância e preconceito a gente combate com informação. Então vamos lá:
Casamento é uma sociedade - os dois trabalham em conjunto para conquistar o que almejam e administrar a "empresa" que é a casa deles. Em cada empresa funciona de um jeito: em algumas ambos geram receita e na minha, desde que Isabella nasceu, funciona assim: minha parte é lavar, cozinhar, cuidar da casa e dos filhos e ajudar a administrar as despesas mensais, enquanto meu marido trabalha 500 mil horas mensais para suprir minha parte. É uma DIVISÃO. NÓS decidimos isso. Eu não fui forçada a ficar em casa e não me sinto menos por causa disso. Eu QUIS cuidar da minha filha ao invés de coloca-la na creche mesmo sendo uma escolha difícil e meu sócio concordou e apoiou.
Já conheci mulher que se você olhasse de fora chamaria de emponderada e independente, mas que ia chorar no banheiro da empresa porque a sua vontade era estar em casa com os filhos, porém o marido não deixava porque "não queria esposa dona de casa cheirando a ovo frito. Estão entendendo? Feminismo é direito de escolha, não ser A ou B. Então sou sim feminista, feminista lavando cueca e fazendo almoço, e feminista de muita sorte por ter um sócio que junto comigo soube escolher o que seria melhor pra nossa empresa naquele momento.
Não deixe que ninguém te diminua pelas escolhas que fez. Nunca. Ok? Ok.

Beijo da Tia :*

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Restaurando couro sintético

Teste da Tia: Máscara facial negra, da Avon

BB Cream Clearskin Avon