Sobre o blog

  Primeiramente, olá!

   
Este é o primeiro post, e antes de qualquer coisa achei legal falar um pouco sobre mim e o blog que está nascendo. Pouco é no sentido figurado, tá? Já aviso que nunca falo pouco.
Acho que um bom jeito de começar é dizendo que sou dessas que se vira. Desde que ficamos sem uma figura masculina em casa (meu pai abandonou a família quando eu tinha 7 anos), fomos (eu e minha irmã, Luciana, seis anos mais nova que eu, mora na Austrália, minha melhor amiga, soulmate e grilo falante) obrigadas a aprender a dar um jeito. E considerando que isso foi em uma época sem Google acho que nos saímos muito bem. Aprendemos a trocar lâmpada, tomada e resistência de chuveiro, a fazer ovo quente e bolo de água quando essas eram as únicas opções quando batia vontade de comer alguma coisa diferente, fizemos pegar UHF em uma tv que só tinha canais VHF usando um fio rígido como antena (e assim finalmente descobrindo a MTV e as primeiras séries gringas que eram exibidas pelo Canal 21), penteávamos os cabelos rebeldes da franja com escova de dente para que ficassem lisos (funciona!), entre tantas outras coisas que você acaba tendo de fazer quando não tem um puto no bolso, mas nem por isso se priva das coisas que quer.
Não posso dizer que as coisas não melhoraram, mas os tais putos ainda continuam difíceis de virem pro bolso. Então sigo me virando: Pesquiso sobre toda a pergunta idiota que vem a cabeça (tipo a Luna, sabe mamãe? rs ), porque no mínimo vai render um assunto numa roda de amigos. Sempre procuro a forma mais fácil de executar uma tarefa (coisa de preguiçosa que dormiria 20 horas por dia se pudesse), já vou ao médico com uma lista de 700 possíveis causas para minha queixa (para que no mínimo ele veja que não sou uma abobalhada qualquer), e sou super adepta do DIY (faça você mesmo).
Graças a tanta cultura (in)útil sempre sou procurada para dar conselhos para os mais diversos assuntos (apesar da cara de poucos amigos que dizem que tenho mas que, juro, não é sempre intencional). E isto sempre me deixou tão orgulhosa! É ótimo quando você acaba ajudando alguém com alguma coisa que aprendeu, né? E foi daí que nasceu o título honorário de tia. Sempre que alguém vinha cabisbaixo querendo um conselho sobre o fim de um namoro ou uma receita de panqueca eu soltava "fala pra tia, o que foi?" ou " a tia te ajuda". Talvez porque tenho alma de velha ( e quase todo o resto também, já que os trinta e três estão chegando).
Estou ao mesmo tempo em duas fases da maternidade completamente distintas: tenho o Thiago de 14 anos, menino amoroso e inteligente que me faz viver repetindo todas as máximas de mãe que você possa imaginar graças a sua distração sem par, e a Isabella, de 5 meses, bebezinha esperta e cativante.E também sou esposa! Casada há sete anos com umas das pessoas com o maior coração que conheço, o homem da minha vida.
A idéia do blog não partiu de mim. Muitas vezes quando eu dou um conselho porreta, ou posto alguma história verídica (com uma pitada de exagero) nas redes sociais, eu ouço "Poxa, Leila, você devia ter um blog!". E essa idéia vem me martelando, sabe como é? Então resolvi que agora que estou deixando o mercado de trabalho pra me dedicar mais a maternidade (decisão dificílima, vou falar mais sobre depois) seria um bom momento pra tentar. A meta é: ficar famosa, rica, ir morar em NY e começar a ficar gostosa para poder postar fotos de biquini em Ibiza. Será que rola?
Qualquer comentário será bem vindo, contanto que educado, ok? Afinal, a gente é amigo >.<


Essa foi a apresentação da tia.

UPDATE: A partir do dia 22/09/2016 a Luciana, minha irmã, começou a colaborar com o blog também. É uma alegria muito grande para mim, já que é com ela que sempre dividi todos os truques e idéias. E ela é muito divertida, tenho certeza de que vocês vão gostar. :)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Restaurando couro sintético

Teste da Tia: Máscara facial negra, da Avon

Teste da Tia - Renew Hydra, da Avon