Papeando sobre: Consumo consciente


 Oi gente! Tudo em ordem?
Hoje queria bater um papo com vocês sobre compras. Não, não vou falar de nenhuma peça tem-que-ter, e nem dar nenhuma dica de site ou loja para te fazer comprar mais. Na verdade a intenção é te fazer comprar menos, ou no mínimo pensar melhor antes de se dirigir ao caixa.
Muitas pessoas amam comprar, mas vou falar na primeira pessoa: Eu amo comprar. Mas nunca fui de gastar muito dinheiro em uma só peça de roupa, já que nunca liguei muito pra marca. Meu negócio era gastar sim muito dinheiro (muito proporcinalmente ao que eu tinha, tá? Porque muito, muuuito nunca tive não) em lojas de fast fashion. Garimpava as araras em busca de coisas legais e super baratas, e comprava todas. Meu maior prazer era me gabar em ter comprado por 10 reais aquela blusinha que todas compraram por 100. Depois enjoava, saía doando pra liberar espaço no armário e voltava a comprar tudo de novo. Mas depois de ver o documentário The True Cost comecei a repensar meus hábitos e a pesquisar mais a respeito. É incrível como a gente não pára pra pensar no porquê de tanta diferença de preço entre lojas, no que uma loja tem que fazer para que um produto chegue tão barato na nossa mão. Nunca parou pra pensar nisso? Deixa eu te contar: A rede varejista na maioria das vezes não produz os produtos que vende, ela compra de quem produz. Para conseguir vender por um preço competitivo ela precisa encontrar produtos extremamente baratos, mas que tenham boa qualidade para que não percam o cliente. Então vão atrás de fornecedores hiper baratos. Por sua vez, o fornecedor - no caso fábricas de costura - precisam produzir pecas com o menor custo possível, para que mesmo vendendo super barato ainda tenha lucro. E como esse custo é diminuído? Infelizmente não é com mágica. Grande parte dessas fábricas têm funcionários em condições escravas, trabalhando em troca de um prato de comida, muitas horas por dia, com trabalhos repetitivos, em péssimas condições de higiene, adoecendo devido a extensa carga de trabalho...
Você pode estar pensando: Ah, mas vai ver aquela loja tão legal não saiba que compra produtos produzidos por trabalhadores escravos. E eu te respondo: Se a gente tá parando pra pensar em como é possível um produto chegar tão barato para nós, é possível que eles também não tenham se questionado a respeito disso? Fora que, tirando a compra de produtos produzidos nessas condições, muitas lojas também deixam de oferecer aos funcionários boas condições de trabalho, pagando pisos baixíssimos, impondo metas inalcançáveis, fazendo-os trabalhar por horas a fio sem poderem parar pra comer e com idas ao banheiro controladas, tudo isso pelo lucro.
Tá, mas então a gente tem que começar a comprar coisas caras? Infelizmente isso não é garantia de estar sendo justo, já que muitas marcas CARÍ$$IMAS também foram flagradas coagindo com mão de obra escrava. Mas tenho algumas dicas de como ser um pouco mais cauteloso, e também fazer compras mais conscientes:


  •  Procure informações a respeito da loja em que pretende comprar: Existe um aplicativo chamado Moda Livre onde você pode verificar quais lojas foram pegas se beneficiando com trabalho escravo. Vale o download.
  • Use o que você já tem: As vezes você nem tá precisando de roupa nova, vai? Pega aquelas peças que estão lá no fundo do armário esquecidas e dá uma chance! Crie novas combinações, customiza, olhe pra ela com outros olhos! 
  • Crie uma rede de troca: Pra renovar o guarda roupa nem sempre é preciso gastar dinheiro. Com certeza aquela amiga que veste o mesmo manequim que você também enjoou de algumas roupas que você poderia amar. Então porque não fazer uma troca? Marca um café, pede pra ela trazer o que não quer mais e você abre seu armário para que ela escolha algumas pecinhas. Vai ser divertido e te dar a sensação de ter comprado horrores!
  • Venda e compre desapegos pela internet: Se você tem uma certa vergonhazinha de oferecer roupas usadas para quem conhece, que tal anunciar na internet? Sites como o Mercado Livre , o Enjoei e o Ficou Pequeno (este último especializado em roupas infantis) te ajudam muito nesta empreitada, já que fazem o intermédio entre você e o comprador/vendedor. Isto faz com que você consiga o dinheiro de volta caso compre uma "cilada, Bino" quanto garante que você receba o dinheiro das suas vendas sem dor de cabeça. Fora que é tudo via site (evitando qualquer tipo de contato com estranhos porque, né? O mundo tá complicado), o envio é facilitado, quem compra pode pagar com cartão e parcelar (o que ajuda bastante). Já comprei e amei ter algo que tinha o valor sentimental de outra pessoa, já vendi e recuperei alguns dinheiros que me ajudaram a beça. Só vantagens.

  • Abra sua mente, brechó também é loja: Tá, não vou ficar posando só de politicamente correta, vou ser sincera - Há algum tempo atrás, quando eu trabalhava fora e tinha meu dinheiro todinho pra mim, comprar em brechó era raro, e apenas nesses mais chiquezinhos, só pra dar uma de cool. Maaaaas... Tudo na vida tem seu lado bom, e ficar sem grana pra gastar a toa me fez abrir a mente e buscar opções para comprar coisinhas e ficar feliz, porque eu fico feliz em comprar coisinhas, mas tenho outras prioridades agora. Mas vou te dizer que meninx... Como você encontra coisa legal nesses brechós de garagem! Claro que você encontra tosqueiras (é legal ir com alguém pra poder comentar e dar risada) mas também consegue fazer compras ótimas. Olha, já comprei vestido de seda por 10 dinheiros, uma bolsa de couro linda que customizei e acabei cagando , sandália por 3, calça jeans por 2 reais que transformei em um short jeans (óh aqui ). Vale comprar até aquela peça que vai precisar de um ajuste, aquela que vai poder ser transformada em outra coisa, customizada... São muitas opções! O único contra disso é que como não sabemos bem de onde tá vindo a peça é sempre aconselhável lavar SUPER bem antes de qualquer coisa (recomendo colocar desinfetante, vinagre ou bicarbonato na lavagem.)

Neste vídeo abaixo falo um pouco a mais sobre o assunto:


E aí, se inspirou a fazer melhores escolhas? Me conta nos comentários!
Beijo da Tia :*

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Restaurando couro sintético

Teste da Tia: Máscara facial negra, da Avon

Teste da Tia - Renew Hydra, da Avon