Aborto masculino

Oie! Tudo em ordem por aí?
Hoje eu venho falar com vocês sobre um assunto que eu conheço bem: O aborto masculino. O que? Não sabia que dava pra homem abortar não? Ah, então precisamos conversar meeesmo...
Faz um tempo que se levantou uma polêmica por causa da liberação de um aborto em um caso isolado. Viram nisso uma esperança (ou ameaça, depende do ponto de vista) da legalização do aborto aqui no Brasil e não faltou protestos virtuais, textão e pessoas querendo enfiar sua opinião goela abaixo dos outros.
Eu, Leila Regina, não faria um aborto, e essa minha opinião se baseia, entre outras coisas, na minha religião. E por isso mesmo eu não acho que, num país laico, possa-se querer que todos tenham o mesmo posicionamento. Proibir e criminalizar o aborto é tapar o sol com a peneira.
E pensando nisso me veio à mente que muita gente crítica a mulher que decide abortar mas não julga na mesma medida o homem que em qualquer momento da sua vida decide que não quer mais um filho e lhe vira aa costas. Já vi como um aborto é feito e é realmente cruel e horrível, mas... E ser deixado de lado quando já se tem sentimentos e entendimento?
Fui "abortada" pelo meu pai aos seis anos. Ele simplesmente resolver mudar de vida e na vida nova não cabia filho. Passei necessidade, medo, vergonha, mas o que mais doeu foi, por tanto tempo, não entender o que eu tinha feito de errado pra que meu pai, sempre tão carinhoso, fosse embora assim. Eu chorei muito, rezei muito, fui muito atrás dele. E hoje, adulta, entendo a situação, mas sei que nunca vou entender como alguém pode simplesmente deixar um filho pra trás.
Então hoje eu tô aqui pra fazer dois apelos: O primeiro é pra você, homem: Pense muito bem antes de fazer filho por aí. Tenha a consciência de que aquela que você escolheu pra passar a noite um dia pode fazer parte da sua vida pra sempre caso você não se previna. E que o resultado de uma rapidinha pode ter um coração, e você não deve nunca parti-lo. Você não sabe o estrago emocional que você pode causar. A dor que você pode causar. A visão de família que você vai deturpar.
O segundo recado é para você, mulher, que se separou do pai do seu filho e agora usa a criança pra fazer picuínha com o ex, provoca-lo, chantagea-lo: Apenas pare. Não seja você a pessoa que vai impedir que pai e filho tenham contato. Se ele for um bom pai, não arrisque que ele suma da vida da criança a fim de evitar você. Nenhum problema conjugal justifica sacrificar a relação dos dois. Seu filho um dia vai entender o motivo da separação de vocês, vai perceber se o pai quis ou não tê-lo por perto, mas isso será no momento em que ele estiver preparado pra isso. Não fale mal, não coloque filho contra pai, não faça a criança escolher um lado. Isso é muito cruel.
Falei um pouquinho mais sobre aqui:
E aí? Teve alguma experiência relacionada a esse assunto? Me conta! Tô curiosa.

Beijos da Tia :*

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Restaurando couro sintético

Teste da Tia: Máscara facial negra, da Avon

Teste da Tia - Renew Hydra, da Avon